Diante do cenário de pandemia da COVID-19, a atenção à saúde deve ser intensificada pelas pessoas que se enquadram nos grupos de risco, entre elas, quem tem doenças preexistentes.
Estão nesta lista os diabéticos e hipertensos, mais propensos a desenvolverem doença renal crônica, condição que também inspira cuidados caso o paciente seja testado positivo para a Covid-19.
Pessoas com doenças preexistentes estão mais vulneráveis ao vírus por possuírem a resposta imune do organismo comprometida devido à sua condição. “Por terem um grau elevado de imunodeficiência, esses indivíduos têm dificuldades para criar uma resposta inicial eficaz contra o vírus, o que pode contribuir para o desenvolvimento de quadros mais agressivos”, explica Isabel Novais, nefrologista do INEB.

Prevenir é o melhor remédio
Assim como é recomendado ao restante da população, é imprescindível aos pacientes renais e de outras condições crônicas seguirem rigorosamente as orientações dos órgãos oficiais para prevenção contra o contágio pelo novo coronavírus.
Entre as recomendações gerais do Ministério da Saúde, as principais são evitar ir a locais com concentração de pessoas, se possível realizar o distanciamento social e adotar medidas como higienizar frequentemente as mãos com água e sabão e álcool em gel a 70%, manter os ambientes bem ventilados e não compartilhar objetos pessoais, como copos, talheres e toalhas.
Entre as orientações específicas, o órgão orienta os pacientes renais e de outras condições evitar ir a hospitais e procurar tomar a vacina contra a influenza e outras doenças, caso estejam em atraso. Além das medidas extras, antes das sessões de hemodiálise, demais cuidados com a saúde determinadas pelo nefrologista aos renais crônicos também são essenciais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *