O controle da ingestão de líquido é necessário para que os pacientes renais não sofram intercorrências durante a sessão de hemodiálise. Como não conseguem eliminar o excesso de líquido e as toxinas do corpo por meio da urina, é a máquina que realiza esse processo, e o ganho de peso excessivo pode ocasionar mal-estar durante a sessão.
Os sintomas mais comuns são a hipotensão, náuseas, vômitos, câimbras e tontura. Fora da máquina, eles podem ser ainda mais intensos e graves, como inchaço, hipertensão, insuficiência cardíaca, edema em membros inferiores, face e pulmões, que podem causar a falta de ar.
Como explica a nutricionista da equipe do INEB Brasília, Adeliane Barreto, para que não haja prejuízo com o elevado ganho de peso entre as sessões, a recomendação é que o peso ganho seja correspondente a aproximadamente 3% do peso seco.

Qual a quantidade ideal?
A recomendação diária de ingestão de líquido é o volume de urina em 24 horas + 500ml. Vale lembrar que não é apenas a água, mas também chá, sopas, caldos, iogurte, refrigerantes, cremes, leite, café, sorvete, sucos, gelatina, verduras, frutas e legumes com alta quantidade de líquido como melancia, laranja, abacaxi, tangerina, chuchu, abobrinha também são consideradas no controle de líquido.

Como controlar?
A nutricionista dá algumas dicas de como controlar o consumo de líquidos, sendo que a principal delas é evitar a ingestão excessiva de sal, alimentos ricos em sódio (industrializados, embutidos) e doces. Outras alternativas para driblar a boca seca ou a sede são:

• Tomar líquidos sempre gelados;
• Usar xícaras e copos pequenos para o consumo de líquidos;
• Chupar cubinhos de gelo ou de limonada para reduzir a sensação de boca seca;
• Mascar folhas de hortelã ou cidreira;
• Escovar os dentes após as refeições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *