Os cálculos renais são um dos problemas renais mais conhecidos pela população. Por conta da concentração alta de cristais no sistema urinário e baixa hidratação que não faz a excreção destes minerais, as pedrinhas se formam, podendo causar posteriormente bastante desconforto para o paciente, como dores intensas, náuseas, vômitos e até febre.
O oxalato de cálcio é um do principais componentes dos cálculos, apesar de haver outros tipos de pedras também conhecidos, como a de cistina, estruvita e ácido úrico. Cada tipo possui suas características, por isso é importante identificá-las para a realização de um tratamento efetivo.
Hoje, falaremos destes tipos de cálculos mais comuns e as características de cada um.

Cálculos de cálcio
Estes cálculos são os mais recorrentes, pois um dos seus principais fatores é a ingestão excessiva de sódio e proteína de origem animal, e, claro, o baixo consumo de líquidos auxilia para que haja uma concentração alta dos minerais no organismo e baixa exceção por meio da urina. Há também outras causas, como distúrbios metabólicos, dieta rica em vitamina D e doenças do intestino delgado.
Neste caso, o cálcio, junto de outras substâncias, como o oxalato, o fosfato ou o carbonato, formam os cálculos.

Cálculos de cistina
Este tipo de cálculo é causado por conta da cistinúria, uma doença renal hereditária que leva ao excesso e baixa solubilidade do aminoácido cistina na urina, ocasionando a formação dos cristais. Para a prevenção, é indicado exames de monitoramento e tratamento para evitar a formação e crescimento de cálculos e hidratação elevada.

Cálculos de estruvita
Desenvolvidas a partir de fosfato de amônio e magnésio, os cálculos de estruvita são causadas por bactérias recorrentes de infecção urinária. Ocorrem com mais frequência em mulheres. Em alguns casos, pode ser necessário tomar antibióticos.

Cálculos de ácido úrico
Outro tipo de cálculo comum, é mais comum em homens. Dentre as causas estão dietas ricas em proteína, obesidade ou fatores genéticos. Vale lembrar que bebidas alcoólicas, como a cerveja, possuem substâncias como a purina que provocam o aumento do ácido e também podem incentivar a elevação do ácido. A prevenção: levar uma vida mais saudável, incluindo alimentação balanceada e a ingestão adequada de líquidos (não alcoólicos).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *