Já falamos aqui no site sobre a importância da abordagem multidisciplinar e como ela influencia na eficácia do tratamento e na qualidade de vida do paciente renal crônico. A fisioterapia é uma das frentes que compõem a multidisciplinaridade das clínicas do INEB Brasília.
A fisioterapia é um atendimento que tem oferecido bem-estar aos pacientes durante a hemodiálise, melhorado a vida após as sessões, permitindo uma rotina mais ativa, com menos dores e maior disposição.
A fisioterapia realizada durante a sessão de hemodiálise, por meio de exercícios globais aeróbicos e de fortalecimento, tem como intuito melhorar a qualidade da diálise, ou seja, a depuração da ureia.
Como explica a fisioterapeuta do INEB Brasília Renata Moraes Amaral, são utilizadas ferramentas para auxiliar neste processo, como minibike (bicicleta estacionária), elásticos de resistência, caneleiras, halteres, alicate, para fortalecer antebraço e preparo para fístula,fa bola de pilates, equipamentos de eletroterapia como o TENS (Neuroestimulação Elétrica Transcutânea) e o ultrassom. Também pode ser utilizada a técnica de dry needling ou agulhamento a seco.
Se o paciente tiver uma demanda específica, como comprometimento na coluna, gonartrose ou dor miofascial por tensão, as clínicas contam com uma sala específica de fisioterapia com todos os equipamentos necessários para o atendimento personalizado, com agendamento.

Benefícios da fisioterapia
Cada modalidade de exercício proporciona um benefício diferenciado ao paciente em hemodiálise. Por exemplo, as atividades realizadas na minibike melhoram o condicionamento cardiovascular. O exercício é sempre acompanhado pela escala de esforço chamada escala de Borg ou de cansaço. Já os de alongamento muscular melhoram a mobilidade corporal e os de fortalecimento muscular, a força.
Todos os exercícios provocam a liberação de endorfina, dando a sensação de bem-estar e prazer, proporcionando assim a consequente melhoria da qualidade de vida fora da sala de tratamento.
“A fisioterapia durante a hemodiálise busca a melhora da qualidade de filtração do sangue utilizando os exercícios como instrumento. Todo paciente ativo e que realiza exercícios durante as sessões, normalmente, são mais independentes em suas atividades de vida diária”, pontua a fisioterapeuta do INEB.
É comum, também, que os pacientes atendidos relatem que há diminuição de quadro álgico (diminuição de dor, pois a maioria tem dor miofascial na região de ombro) e melhora da capacidade funcional nas atividades do dia a dia, além de se sentirem mais dispostos.

Contraindicações
Em alguns casos, é contraindicada a realização dos exercícios por conta de problemas cardiovasculares graves, hiper ou hipotensão durante a hemodiálise e diabetes descompensada. Por isso, todos os pacientes passam por uma avaliação inicial antes de iniciarem a fisioterapia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *