Pelo menos um em cada 10 adultos brasileiros possui algum tipo de doença renal crônica. Receber a notícia de que vai precisar passar por um tratamento conservador é tarefa nada fácil para muita gente. Mas e a família, o que tem a ver com isso? Na realidade, tudo!

O envolvimento de familiares neste momento é indispensável para a aceitação e até mesmo o sucesso do tratamento do paciente. Algumas ações muito simples podem ter uma enorme importância para quem vai enfrentar esse desafio.

O INEB Brasília traz atitudes indispensáveis:

1 – Ouça

Por dificuldades em lidar com mudanças bruscas de hábitos, que envolvem desde a alimentação até outras atividades bastante comuns em nosso cotidiano, é normal pacientes se afastarem de amigos e familiares. Mas o que fazer quando a pessoa se isola? Seja a boa companhia de sempre. Converse abertamente, questione, esteja do lado dela para valer!

2 – Informe-se

Conhecer a doença é outro processo importante para ajudar o familiar com doença renal crônica. Vasculhe na internet artigos científicos de instituições com reputação, reportagens, até canais de especialistas em nefrologia nas redes sociais. Se clicar neste link, por exemplo, vai encontrar uma porção de textos para leigos. Você pode ainda conversar com o médico responsável pelo tratamento ou com outras pessoas que fazem o tratamento.

3 – Abrace a causa

Não fique só no discurso, parta para atitude! Se o membro da sua família em tratamento vai precisar mudar a rotina alimentar e adotar algumas restrições, que tal embarcar na dieta? Não precisa ser radical, mas mostre que realmente quer participar. Quando puder, acompanhe-o nas visitas ao médico para inteirar-se das evoluções.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *